como saber se sou empreendedora

A pergunta pode incomodar um pouco, mas essa é a intenção.

Muita gente vai responder “claro que eu sou”, sem realmente prestar atenção na resposta que está dando.

Empreende-DOR é aquele que consegue enxergar oportunidade onde outras pessoas enxergariam dificuldade.

Quando conversamos com algumas pessoas, ouvimos que elas adorariam fazer sucesso revendendo semijóias, mas que “tá difícil”, porque o Brasil está em crise, porque o marido está desempregado, porque não sobra tempo pra ir fazer as cobranças, por isso ou por aquilo.

Bom…

Se você se encaixa nessas desculpas (ou, justificativas, se quiser dar esse nome), você provavelmente não é um empreendedor.

Talvez você já tenha sido empreendedora e talvez algum dia você possa ser, mas se quando você pensa em progresso, o primeiro pensamento que vem à sua mente, é que NÃO DÁ, por causa disso ou daquilo, então você não sabe EMPREENDER na DOR.

Seria maravilhoso se todos acreditassem em prosperidade, fartura e abundância, ao invés de acreditarem em escassez, dificuldades e pobreza.

Se você tenta ver o lado bom das coisas e não consegue, talvez você esteja olhando pelo ângulo errado.

Abraçar um poste e chorar não faz com que o poste se mova, então VOCÊ PRECISA sair do lugar para ver o que existe atrás do poste.

Se esse texto parece de auto-ajuda pra você, é porque você pode estar precisando justamente disso: SE AUTO AJUDAR!

Ter um emprego fixo é muito bom.

A segurança de saber que seu salário cairá todo mês na sua conta, te dá estabilidade emocional e tranquilidade para realizar planos para o futuro, certo?

Isso não significa que essa segurança seja real.

Quando seu emprego depende do progresso de uma empresa (seja ela multinacional ou pequena) que não é sua, ele não está tão seguro quanto parece.

Vimos nos últimos anos, grandes empresas demitindo funcionários com mais de 10 ou 20 anos de carteira assinada e essas pessoas ficaram desoladas, pois muitas vezes dedicaram suas vidas em prol de um negócio que não era delas e agora, não sabiam mais como recomeçar pois tinham se especializado em fazer algo que dependia da empregabilidade daquela empresa.

Ninguém está estimulando você a desvalorizar seu emprego atual ou abrir mão dele, mas quando você possui uma segunda fonte de renda, a sua vida fica, de fato, mais segura e tranquila e você não fica preso às decisões de outras pessoas ou corporações.

Pense nisso e conte conosco para dar seus primeiros passos na sua jornada de empreendedorismo.

Aqui no blog você também encontra matérias falando sobre como você pode começar a revender semijóias, como formalizar sua profissão e até, como montar uma equipe de revendedores.

Nós acreditamos em você. E você? Acredita?

Similar Posts

1 Comment

  1. Quero aprender

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *